domingo, 24 de outubro de 2010

Confissão

Distante de mim
E longe de você
Tenho nascendo o sol pra mim
E onde está você?

Mordo minha boca pensando no doce que é a sua.
Observo o horizonte refletindo em minha mente
A escultura de sua imagem nua.

Sofro esperando você chegar
E assim poder te abraçar
Tendo novamente seu corpo junto ao meu
Sem ter que pronunciar
A triste palavra: adeus.

Chegas e parece ainda tão distante,
Como seu sentimento fosse uma onda espumante
Que se desfaz ao enxergar
Um alguém de amor a amar
Num ponto de vida inebriante.

Um comentário:

Livia disse...

Gostei dessa Icurel...bem profundo!rs