domingo, 19 de outubro de 2008

É INFERNO MESMO!

As nuvens são brancas
Porque nelas não alcançam
Os respingos do sangue aqui derramado.
São surdas, pois os gritos daqui
Produzidos são mudos quando estão lá...

A vida daqui é a vida de lá
Só que trabalhada por mãos fétidas...
Morrer aqui é tentar viver lá.
A desgraça é tida como virtude consumida com desejo!
É vivida por abutres humanos que,
Regurgitam os restos de seus predecessores podres...

Querer sair daqui, é tentar manipular o mal,
Para querer sê-lo!
É tentar ser o que é
Parecendo o que não existe!

Vou parando de escrever, porque não
Tenho mais mãos para escrever...
Meus pensamentos foram implodidos.
Minha alma foi apagada.
Sou um resto do nada...

Um comentário:

Diêgo disse...

iaew meu fiu.. mais uma de grande inspirações... gostei muito do poema.. pois o homem constroi o seu próprio inferno na maneira de ser, agir e pensar... possui uma grande profundidade e intensidade de auto reflexão.. gotei muito da frase "A desgraça é tida como virtude consumida com desejo".. continue se inspirando.. abraços!!
Diêgo